Intranet

Faça seu pedido aqui.



Entrar



Clique no botão para entrar

Oportunidades

Faça parte do nosso time, envie seu currículo para quaisquer oportunidades!
Trabalhe conosco

Transmissão de pedidos



SuperInformativo

Cadastre seu email para receber as notícias da GAM

Notícia

16/11/2017 - Merck age para levar remédios a quem mais precisa deles

A mais antiga indústria farmacêutica do mundo — fundada em 1668, na Alemanha —, Merck- atua em cerca de 70 países ao redor do mundo. No Brasil, é uma companhia quase centenária — iniciou suas atividades por aqui em 1923, quando começou a produzir solventes e ácidos orgânicos no interior de Minas Gerais. Dez anos depois, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde está hoje sua única fábrica no país.

O parque industrial, no bairro de Jacarepaguá, recebeu nos últimos cinco anos mais de 160 milhões de reais em investimento para sua modernização e expansão. Com a inauguração da nova linha de produção, no início deste ano, que adicionou uma capacidade de fabricação de até 1 bilhão de comprimidos por ano, a Merck deu um passo importante para manter-se cada vez mais ambientalmente eficiente, como demonstram os resultados dos últimos anos.

Entre 2008 e 2016, o uso de energia por unidade fabricada caiu 70%, enquanto o de água foi reduzido em 76%. No ano passado, a Merck consumiu 40% menos gás natural do que em 2015, o que contribuiu para diminuir as emissões diretas de gases de efeito estufa em 35%.

“Na modernização da fábrica, trouxemos equipamentos de última geração que nos permitirão reduzir ainda mais o uso de recursos e também os custos”, diz Guilherme Maradei, presidente da Merck. “Com isso, também poderemos manter nossos programas de acesso a medicamentos. ”

Segundo Maradei, o ganho de eficiência permitiu que a companhia mantivesse, nos últimos seis anos, o preço do medicamento para diabetes que fornece ao programa Farmácia Popular do Brasil, do governo federal, de distribuição a preços subsidiados para pessoas de baixa renda.

O diabetes pode levar a complicações como cegueira e amputação de membros e, em 2016, atingia quase 10% dos brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. Para ampliar o acesso a medicamentos, a Merck também realiza projetos em colaboração com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição de pesquisa vinculada ao Ministério da Saúde.

O principal deles é o desenvolvimento de uma nova formulação para o medicamento contra a esquistossomose, doença que afeta quase 240 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde. Dissolúvel em água para facilitar sua administração a crianças com menos de 6 anos, a nova terapia deverá estar no mercado em 2019.

E fará parte do programa global de doações da Merck, que já destinou 200 milhões de comprimidos a 33 países africanos com grande número de doentes.

Notícias

Todas as notícias

 

Genesio A. Mendes & CIA Ltda.

Av. Patrício Lima, 310 CEP 88704-410 - Tubarão/SC - Fone: (0xx48) 3621-8000 / Fax: (0xx48) 3621-8080